close

MODAPORTUGAL SURPREENDE EM PARIS
29 Junho 2017

© Gonçalo Silva

Criadores e marcas de moda nacionais estiveram dois dias em Paris no SHOWCASE MODAPORTUGAL com propostas criativas, modernas e inovadoras, colocando Portugal como um país de excelência na área da moda.

A Galerie Perrotin, no coração do Marais, foi o cenário escolhido para acolher a primeira edição do SHOWCASE MODAPORTUGAL – uma iniciativa promovida pelo CENIT em parceria com a ANIVEC (vestuário), APICCAPS (calçado), AORP (joalharia) e ModaLisboa – Lisboa Fashion Week, que teve lugar nos dias 23 e 24 de junho durante a Semana da Moda Masculina de Paris.

Vinte e sete designers e marcas de moda portuguesa, incluindo vestuário, calçado, joalharia e lifestyle, juntaram-se, pela primeira vez, na capital francesa com o objetivo de posicionar Portugal como um país de excelência na área da moda. «Esta mostra da portugalidade em todas as suas vertentes foi inédita e bem-sucedida logo na estreia», reconheceu Manuel Lopes Teixeira, CEO do CENIT. «Este é um caminho muito interessante para a moda portuguesa», afirmou, destacando «a forma como a moda industrial conviveu de forma profícua com a moda de autor, adicionando uma faceta de design ao know-how industrial pelo qual Portugal já é reconhecido».

Também o vice-presidente da ANIVEC, João Paulo Pinto Machado, considera «fundamental reunir as competências dos sectores para reposicionar a imagem de Portugal enquanto criador de moda e não apenas de fabricante de moda para marcas».

Do lado do calçado, Manuel Carlos, presidente delegado da APICCAPS, destacou o esforço desta cooperação como indispensável para alicerçar este projeto. «Há um elemento essencial, que é necessário para se fazer um caminho destes, com vários parceiros. Esse elemento essencial é a confiança e a confiança é entre as pessoas. As instituições são paredes, as instituições têm pessoas e se as pessoas tiverem confiança umas nas outras, com perspetivas e horizontes comuns, como é o caso da confeção e do vestuário, podem ter um horizonte comum. Este petit pays que nós temos é um grand pays na Europa. Nós temos uma indústria de calçado e de confeção que é, hoje, provavelmente a maior da Europa».

Já Fátima Santos, secretária-geral da AORP, encarou com entusiasmo esta parceria num sector tradicional envolto em segredos e com pouca abertura para a moda. «A moda também tem complementos e por isso faz todo o sentido estarmos aqui, juntamente com o vestuário e o calçado. A ourivesaria sempre centrou a sua estratégia nas matérias-primas e não nas marcas, embora ultimamente tenham surgido no sector marcas e o tenham aproximado ao mundo da moda», referiu.

O SHOWCASE MODAPORTUGAL «foi pensado numa lógica coletiva, quase como uma miniembaixada daquilo que é o mood português contemporâneo, que sabe pensar, que sabe construir, que sabe fazer e que também tem alguma coisa de tradicional nas suas técnicas, mas que é um Portugal moderno», explicou, Eduarda Abbondanza, curadora deste evento.

O espaço, dividido em três ambientes, acolheu na sala magna as marcas de vestuário e calçado, paredes-meias com a sala da ourivesaria, que albergou peças de joalharia numa mesa decorada com azulejos portugueses – ambas áreas concebidas pelo estúdio Pedrita. O terceiro espaço recriou o mar, através de som e imagem, numa instalação assinada por Eduarda Abbondanza.

De acordo com Pedro Monteiro, fundador e designer da Litoral, esta participação foi «uma boa oportunidade» para a marca de vestuário, que levou até à Cidade-Luz peças fortes da coleção feitas em 100% algodão ou em 100% linho. A marca portuguesa de outerwear, fundada em 2015, está já no mercado global através de agentes no Japão, nos EUA e na Europa.

Também a marca de calçado Nobrand, presença habitual em grandes plataformas internacionais, não quis deixar de salientar a importância desta mostra em França, «um dos mercados onde queremos crescer», revelou Marco Lusquiños. 

O encanto da joalharia não passou despercebido às centenas de pessoas que deambularam pela Galerie Perrotin. O trabalho da Joana Mieiro através da sua marca Mimata já tem reconhecimento internacional em mercados como Hong Kong, China ou EUA, mas a designer quer intensificar a sua presença noutros mercados, nomeadamente o europeu. «A joalharia ainda está a dar os primeiros passos no mercado externo, mas acredito que muito em breve teremos o reconhecimento lá fora como tem a indústria do calçado ou do vestuário».

O SHOWCASE MODAPORTUGAL acolheu, ainda, momentos de apresentação das coleções masculinas dos designers Ricardo Andrez, Luís Carvalho e Ricardo Preto para a próxima estação quente.

As memórias da infância inspiraram as propostas de Ricardo Andrez nesta sua primeira apresentação em Paris. «Acho importante estarmos aqui e dizermos “somos estes e fazemos isto”», resumiu o designer.

No jardim exterior, a estreia de Luís Carvalho não poderia ter sido mais perfeita. “Eagle Eye”, o nome da coleção, inspira-se nas águias, presentes em bordados, mas também nas texturas das peças, a que se soma o look safari, nos bolsos e nas cores. «Foi interessante estrear em Paris com a apresentação da minha coleção masculina. Penso que será mais fácil alavancar a minha marca aqui com homem do que com senhora, onde há mais oferta», acredita o designer, que venceu o Globo de Ouro para Melhor Estilista em maio.

“Je suis le monde” foi o nome da coleção apresentada por Ricardo Preto onde a força do coletivo, garantiu, é a grande inspiração das suas propostas masculinas para o verão 2018. «Passou tudo por ser um grupo de portugueses em Paris a mostrar o que fazemos ao mundo – essa é, para mim, a importância de eventos como este», confessou. O designer está atualmente a trabalhar com os grandes armazéns filipinos Rustan’s, pelo que divide a sua criatividade ente os dois continentes.

No último dia, o evento encerrou da melhor forma com a abertura da Galerie Perrotin ao público parisiense, bem como uma performance com a assinatura de Nuno Gama, interpretada por elementos da companhia Olga Roriz. A consciência ambiental foi o tema central das propostas de moda masculina, onde não faltaram elementos da cultura e história nacionais, intrínsecos já ao criador, como os azulejos estampados em t-shirts e sapatos.

O SHOWCASE MODAPORTUGAL é promovido pelo CENIT – Centro de Inteligência Têxtil em parceria com as associações sectoriais ANIVEC (vestuário), APICCAPS (calçado), AORP (joalharia) e ModaLisboa/LisboaFashionWeek. A iniciativa é cofinanciada pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional através do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização do Portugal 2020.

FOTOS: Gonçalo Silva e Ugo Camera (desfiles)

Enviar notícia para o e-mail:


Pedido de Imagens

Subscrever Newsletter