close

TRIBUTO A AZZEDINE ALAÏA
20 Novembro 2017

O criador de moda franco-tunisino, Azzedine Alaïa, apelidado de "King of Cling", faleceu este sábado em Paris, aos 77 anos. Conhecido pelos seus vestidos intemporais e que enalteciam o corpo feminino, Azzedine Alaïa era frequentemente comparado a um escultor. 

Azzedine Alaïa nasceu em 1940, em Tunes, na Tunísia. Estudou escultura no Instituto Superior de Belas Artes de Tunes, mas quando se apercebeu “que não podia ser um escultor magnífico”, segundo as suas próprias palavras, enveredou pelo mundo da moda. Em 1957, mudou-se para Paris, onde trabalhou como assistente de Christian Dior, Guy Laroche e Thierry Mugler. No final dos anos 1970, abriu o seu próprio atelier e ganhou notoriedade mundial na década seguinte, ao vestir celebridades como Greta Garbo, Grace Jones, Tina Turner, Madonna, Janet Jackson e Naomi Campbell. Mais recentemente, vestiu Lady Gaga, Rihanna e Michelle Obama.

Conhecido pelo seu estilo discreto e reservado, Azzedine Alaïa preferia desfiles intimistas a grandes espetáculos. Extremamente perfecionista, recusava-se a apresentar coleções até considerar que as suas criações estavam completamente finalizadas. Assim, marcava os seus desfiles seguindo um calendário próprio, fora da grande agitação das semanas de moda.

A morte Azzedine Alaïa já provocou várias reações de pesar, nomeadamente dos “colegas” Pierre Cardin, Riccardo Tisci e Jean Paul Gaultier, entre outros. 

“É um criador de grande talento que nos deixa. É uma notícia muito triste”, afirmou Pierre Cardin.

"Uma das minhas maiores inspirações! Aquele que nunca seguiu ninguém no mundo da moda, mas quer era seguido por todos! O amigo especial e querido! Eu vou adorar-te e respeitar-te sempre! Vou sentir a tua falta", escreveu Riccardo Tisci no Instagram.

"Ele era um grande mestre. Ele conjugou brilhantemente técnica, savoir faire, tradição e modernidade!!! As curvas das mulheres mais bonitas do mundo foram aprimoradas e enaltecidas por Azzedine Alaia", declarou Jean Paul Gaultier. 

François-Henri Pinault, presidente do grupo de marcas de luxo Kering, também elogiou o seu trabalho: "É com grande tristeza que tomo conhecimento do falecimento de Azzedine Alaïa. No mundo da moda, ele foi um grande, enorme costureiro. Tudo tinha de ser de topo com ele: couture, arte, os padrões que desejava alcançar, a sua dedicação ao trabalho, o aprimorar das técnicas e todas as mulheres que vestia. Era um artesão no mais nobre sentido do termo e um homem ferozmente agarrado à sua liberdade”.

R.I.P Azzedine Alaïa!

Enviar notícia para o e-mail:


Pedido de Imagens

Subscrever Newsletter