close

ARQUIVO - EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA DE MODA PORTUGUESA INAUGURA HOJE NA CABANA MAD
11 Outubro 2018

André como São Sebastião
Fotografia Rui Palma

Inaugura hoje, às 18h00, na galeria Cabana Mad a exposição “Arquivo”, que reúne o trabalho de cinco fotógrafos que se têm distinguido no campo da fotografia de moda em Portugal: Rui Aguiar, Pedro Cláudio, Rui Palma, Herberto Smith e Nuno Vieira. A mostra tem curadoria de Francisco Vaz Fernandes, diretor da revista PARQ, e estará patente ao público até 21 de dezembro de 2018.

“Arquivo" é uma seleção intergeracional que procura percorrer todo o panorama da curta história da fotografia de moda em Portugal, que, grosso modo, começa com a edição das primeiras revistas portuguesas de moda em 1987.

"Nesse sentido, Pedro Cláudio, falecido em 2016, foi um dos protagonistas dessa primeira geração. Quisemos homenageá-lo, prestando-lhe o justo reconhecimento pelo legado que nos deixou. O seu património ajudou a fundar o que hoje podemos chamar de “uma cultura” de moda nacional. Já Rui Palma e Nuno Vieira destacam-se no outro extremo pela sua juventude e pela esperança que colocam num trajeto que é marcado pela irreverência e experimentalismo. Tanto Herberto Smith como Rui Aguiar ainda assim em diferentes tempos e gerações partem de vias intermédias em que a nossa cultura fotográfica se reinventa, traçando o seu caminho singular.

Quisemos reunir um conjunto de fotógrafos, em que cada um, no seu tempo, procurou inovar a linguagem da fotografia de moda nacional, estabelecendo ruturas contra os pressupostos mais cristalizados do ofício. Em geral, procuraram sair de uma visão estereotipada a que, muitas vezes, os objetivos comerciais submetem. Para os cinco selecionados, inovar teve sempre um significado mais lato, circulando sempre num ambiente criativo em que o seu quotidiano se inseria.

Ou seja, para eles, muitas dessas ruturas apenas representam novas formas de estar de grupos geracionais mais inconformistas. Sendo a moda, essa malha mais fina, é até natural que estes fotógrafos de moda trouxessem uma visão de transformação que é implícito em qualquer sociedade dinâmica. Nesse sentido as imagens elegidas para esta exposição são fruto de uma tensão que não é imune à vontade de verem o seu processo criativo como arte, um qualificativo que às vezes nos parece tão volátil como a moda.

As fotografias selecionadas para esta exposição, resultam de um trabalho de pesquisa do arquivo de cada um dos fotógrafos convidados. Partiu da vontade de resgatar algumas pérolas esquecidas que a voracidade do tempo da moda revoga rapidamente. Ou seja, todas elas surgiram de uma memória emocional que por diferentes razões levaram o fotógrafo a equacionar uma imagem precisa que é recuperada do seu contexto original.

São arrancadas do seu fio condutor de uma lógica editorial de moda, propondo que sobrevivam na sua singularidade. Ou seja, nenhuma das fotografias expostas foi criada para o contexto expositivo de uma galeria de arte. Todas nasceram para um dia serem vistas numa revista ou num suporte digital doméstico. Nesse sentido, o exercício proposto foi alterar o contexto em que estamos habituados a ver fotografias produzidas por fotógrafos de moda, procurando que estas imagens sobrevivam enquanto arte”, explica Francisco Vaz Fernandes. 

ARQUIVO
Cinco Fotógrafos de Moda Portugueses 

De 12 de outubro a 21 de dezembro de 2018

Cabana Mad
Rua da 66 - 1ºDto - Lisboa

Enviar notícia para o e-mail:


Pedido de Imagens

Concordo com a Polí­tica de Privacidade