close

MUDE APRESENTA “TANTO MAR. FLUXOS TRANSATLÂNTICOS PELO DESIGN”
23 Janeiro 2018

Cadeira de 3 pés projetada por Joaquim Tenreiro, c. 1947

A partir de 27 de janeiro, o Palácio dos Condes da Calheta, no Jardim-Museu Agrícola Tropical, em Lisboa, acolhe a exposição “Tanto Mar. Fluxos Transatlânticos pelo Design”, que procura traçar um mapa de fluxos entre Portugal e Brasil, focando o design e a cultura material de cada país, de modo a problematizar a natureza dessas trocas e a entender como espelham a identidade e a história de cada um.

A mostra, organizada pelo MUDE – Museu do Design e da Moda, Coleção Francisco Capelo em parceria com a Universidade de Lisboa – Museu Nacional de História Natural e da Ciência, faz parte da programação MUDE Fora de Portas e permanecerá em exibição até 20 de maio de 2018.

Com curadoria de Bárbara Coutinho e Adélia Borges, “Tanto Mar. Fluxos Transatlânticos pelo Design” procura ser um espaço de reconhecimento, consciencialização e debate sobre a riqueza da proximidade entre Portugal e Brasil. Em exibição estarão objetos, projetos, móveis, embalagens, peças gráficas e vestuário que remetem para a história, identidade, política, cultura e memória coletiva de Portugal e do Brasil, assim como espelham alguns estereótipos e/ou equívocos das suas representações e imagéticas. Outras peças remetem ainda para a cultura arquitetónica ou vivem num território híbrido, entre o design e o artesanato.

Entre os vários projetos apresentados encontram-se, por exemplo, os do marceneiro e designer de móveis português Joaquim Tenreiro que levou de Portugal a arte de trabalhar a madeira para se tornar o “pai” do móvel moderno brasileiro. A exposição inclui também trabalhos elaborados em conjunto por profissionais das duas nacionalidades.

 

 

 

Enviar notícia para o e-mail:


Pedido de Imagens

Concordo com a Polí­tica de Privacidade

Subscrever Newsletter