close

'POUR MA SOPHIE'
24 Janeiro 2019

Sophia de Mello Breyner Andresen

Para comemorar os 100 anos da poetisa Sophia de Mello Breyner Andresen, a Galeria de Biodiversidade, no Jardim Botânico do Porto, reconhecido como um lugar de inspiração de muitos dos seus contos e poemas, acolhe, entre 24 de janeiro e 22 de fevereiro, a exposição “Pour ma Sophie”

Com curadoria de Martim Sousa Tavares, maestro e neto da escritora, a exposição dá a conhecer mais de 300 livros da biblioteca pessoal de Sophia de Mello Breyner Andresen, com dedicatórias de outros autores e artistas como Teixeira de Pascoaes, Carlos Drummond de Andrade, Maria Helena Vieira da Silva, Arpad Szenes, Miguel Torga, Eugénio de Andrade, José Saramago, Agustina Bessa-Luís, Jorge de Sena, Herberto Helder, entre muitos outros. Além das dedicatórias, estes livros guardavam entre as suas páginas diversos manuscritos inéditos, correspondência, traduções, ensaios e outros materiais, que são agora desvendados, dando a conhecer mais da vida e obra de Sophia de Mello Breyner.

As comemorações do centenário da escritora decorrem também em Lisboa e um pouco por todo o país e além-fronteiras, com iniciativas diversas que incluem sessões de poesia, colóquios, concertos, espetáculos e exposições. 

Destaque para as sessões de poesia Poetas do Povo, que vão realizar-se no Povo-Lisboa, no Cais do Sodré, sob os temas: “A Liberdade em Sophia” (4 de março),”As Ilhas de Sophia” (24 de junho) e “Os Clássicos e Sophia” (23 de setembro). 

No Dia Mundial da Poesia, 23 de março, o Centro Cultural de Belém faz uma homenagem a Sophia de Mello Breyner, que inclui uma feira do livro de poesia, leituras, conferências e programação para os mais novos.

Nos dias 16 e 17 de maio, a Fundação Calouste Gulbenkian promove um Colóquio, no qual especialistas nacionais e internacionais estudam e discutem a obra da poetisa.

Muitos outros colóquios vão realizar-se ao longo de 2019. Em junho, jovens investigadores da obra de Sophia de Mello Breyner reúnem-se em Roma; em setembro, o Rio de Janeiro dedica quatro dias à poetisa e a Jorge de Sena (que também celebra cem anos); em outubro, o Centro Cultural de Lagos organiza um encontro sobre “O mediterrâneo e o Atlântico em Sophia”, centrado no mar, no diálogo com os poetas do Sul, a importância dos contos para crianças e a presença do sagrado na poesia e na obra da escritora; e, em novembro, Macau vai ser o palco para dois dias de debate em torno da obra de Sophia, da poesia, das questões de tradução e da literatura na sala de aula.

Em novembro e dezembro, a Fundação de Serralves e a Biblioteca Almeida Garrett, no Porto, acolhem um ciclo de conferências sobre a presença das artes na obra da poetisa.

A exposição itinerante “Lugares de Sophia”, com fotografia de António Jorge Silva, Duarte Belo e Pedro Tropa, assim como o espetáculo “O mundo de Sophia”, pela Lisbon Poetry Orchestra, são outras das iniciativas previstas para as comemorações, ainda sem data marcada.

Enviar notícia para o e-mail:


Pedido de Imagens

Concordo com a Polí­tica de Privacidade